Aprendendo a viver

“Podes me indicar alguém que dê valor ao seu tempo, valorize o seu dia, entenda que se morre diariamente? Nisso, pois, falhamos: pensamos que a morte é coisa do futuro, mas parte dela já é coisa do passado. Qualquer tempo que já passou pertence à morte.

Então, caro Lucílio, procura fazer aquilo que me escreves: aproveita todas as horas; serás menos dependente do amanhã, se te lançares ao presente. Enquanto adiamos, a vida se vai. Todas as coisas, Lucílio, nos são alheias, só o tempo é nosso.”

Trecho da carta I, “Da economia do tempo”
Sêneca – Aprendendo a viver

share save 171 16 Aprendendo a viver
Esta entrada foi publicada em Cultura, Literatura. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta