Não é capim

Não dá em arvore,
não é capim,
é de papel,
mas tem fim.
Não sei como ganhar
quando eu aprender,
fazer dinheiro,
vai sobrar.
Mas liberdade
hoje,
sem dinheiro
não existe,
mas com ele,
sinto,
vai me aprisionar.
Não tenho dinheiro.
eu trabalho,
não reclamo,
mas não dá.
Eu trabalho,
mas não ganho,
a loucura custa caro,
só desespero,
e contas a pagar.
Aprenderemos?
dinheiro faz dinheiro,
mas quem trabalha,
aos olhos de Deus,
nada será.
Deus ajuda
quem cedo madruga,
mas dinheiro mesmo,
é arte pra poucos,
que milagre não dá.
Não quero dinheiro?
só quero amar!
mas a liberdade,
meu caro,
custa caro,
mãe e pai,
o amor,
vai passar.
O valor do dinheiro,
duvida,
prosperidade é teoria,
dúvida,
nem passado ou futuro,
difícil é fazer dinheiro,
aprender a se virar.
Amar não tem preço,
dádiva,
o presente davida,
o tempo dagente,
em realidade,
fácil revidar.
share save 171 16 Não é capim
Esta entrada foi publicada em Poesia. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta